Letícia Leite é jornalista e mestra em Sustentabilidade Junto a Povos e Terras Tradicionais pela Universidade de Brasília (UNB). Criou, produz e apresenta o Copiô, Parente - o primeiro podcast feito para povos indígenas e povos da floresta no Brasil. O podcast traz um resumo da pauta de Brasília que que afetam a vida dessas populações. Durante a pandemia, o podcast está dedicado às questões de prevenção e enfrentamento da Covid-19 nesses territórios. Disponíveis nos tocadores tradicionais de podcast, os episódios também são enviados em arquivo mp3, por whatsapp. O Copiô mobiliza uma rede de organizações e possibilita a formação de comunicadores indígenas com o objetivo de dar voz e acesso à informação checada e de qualidade

GUIA BÁSICO PARA COBRIR A PAUTA INDÍGENA

26.08.2020

19h - 21h30

Online (Via Google Meet)

*Curso com certificação

Investimento: R$ 60,00

Público alvo: jornalistas,  comunicadores, ativistas, estudantes, professores e pessoas interessadas no tema.

A pauta indígena está no centro do debate político do País. Na primeira série de mini cursos da Alfaiataria a jornalista Letícia Leite vai trazer uma introdução ao Jornalismo e Povos Indígenas. Onde estão os povos indígenas no Brasil e quais os grandes desafios destes povos diante de um governo declaradamente anti indígena? Quais os erros mais comuns que a imprensa comete ao falar sobre povos indígenas? Como localizar as melhores fontes para falar com e sobre povos indígenas em todas as regiões do Brasil. Serão apresentados durante a oficina cinco podcast feitos para povos indígenas: Copiô, Parente, Wayuri, Áudio do Beiradão, Coiab Informa e Áudio mebêngôkre da rede Xingu+

Camila Macedo é doutoranda e mestra em Educação pela Universidade Federal do Paraná (PPGE-UFPR) e bacharela em Cinema e Vídeo pela Universidade Estadual do Paraná (FAP-UNESPAR). Roteirizou e dirigiu o curta-metragem de ficção Lirion (2018), o episódio [Des]Alinhadxs, da série televisiva documental [Des]Iguais (2017), e o videoarte experimento fílmico (2015). Em parceria com Débora Zanatta, é curadora e cineclubista do Sesi Cineclube Solax e coordenou o Núcleo Audiovisual Sesi/PR (2019). Atuou como diretora artística e curadora do festival COLORS: Cinema + Diversidade (Curitiba, 2017) e, atualmente, compõe pelo terceiro ano consecutivo a equipe de seleção e programação de filmes do Olhar de Cinema - Festival Internacional de Curitiba (2018-2020). 

Débora Zanatta é mestranda em Cinema e Artes do Vídeo e Bacharel em Cinema e Audiovisual pela Universidade Estadual do Paraná (FAP-UNESPAR). Atua profissionalmente como roteirista, diretora e produtora cultural. Dirigiu os curtas-metragens Lovedoll (2015), Ocorridos do dia 13 (2016), Primavera de Fernanda (2018) e Aonde vão os pés (2020). Desde 2015 é Produtora Executiva do FIDÉ Brasil - Festival do Documentário Estudantil. Em parceria com Camila Macedo, é curadora e cineclubista do Cineclube Solax, e coordenou o Núcleo Audiovisual Sesi/PR (2019). 

CINEMA LÉSBICO

01.09 e 02.09.2020

19h - 21h30

Online (Via Google Meet)

*Curso com certificação

Investimento: R$ 100,00

A partir da investigação ao redor da presença de personagens lésbicas no cinema e das políticas de representação que tais imagens e narrativas articulam em seus diferentes contextos históricos de realização, discutiremos a emergência das lesbianidades no cinema nacional contemporâneo.

Dalvinha Brandão é drag queen curitibana, residente em Piçarras, SC. Comediante, ativista, pesquisadora e incentivadora da cultura transformista no Brasil desde 2009. Co-responsável pela concepção e produção de eventos como a Quinta Cítrica, O Maravilhoso Cabaré, Circuito Artes da Noite, e as festas Over, Crossdresserdiscodiva e Fuleira. Em 2019 inicia sua carreira como compositora e cantora, lançando o single e clipe "Psicopata do Amor". Trabalha atualmente no álbum "O amor é uma invenção da Nasa pra vender travesseiro".

QUAL É A GRAÇA?(ENTENDENDO COMO FUNCIONA UMA PIADA)

15.09.2020

19h - 21h30

Online (Via Google Meet)

*Curso com certificação

Investimento: R$ 60,00

Público alvo: Comediantes, humoristas, atores, atrizes, palhaços e palhaças, roteiristas, dramaturgos e dramaturgas, ou pessoas interessadas pela escrita e pelo humor em geral. Idade mínima: 18 anos

A oficina Qual é a graça? (Entendendo como funciona uma piada) vai explorar, com uma abordagem teórico-prática, a unidade básica do humor, que é a piada. Como um haicai, a piada tem uma estrutura própria e uma organização que são perenes e invariáveis; No entanto, dentro dessa estrutura, é infinita a variedade de conteúdos, elementos de linguagem, formatos, ritmos e representações.

 

Nem todo humor é piada e nem toda piada tem graça. A piada só existe em contexto. Na oficina, vamos também explorar maneiras de ler e interpretar contextos, e de construir ou refazer uma piada para que ela funcione em diferentes contextos.

Emanuela Siqueira é doutoranda em Estudos Literários pela UFPR, pesquisa Estudos Feministas na tradução e nas críticas literárias e de cinema. Traduz e pesquisa escritoras relacionadas à Geração Beat e se interessa, principalmente, pelos ajuntamentos organizados por escritoras, poetas, artistas, musicistas e afins ao longo do século XX.

FANZINE GRRRLS: TRAJETÓRIAS DE URGÊNCIAS

22.09.2020

19h - 21h30

Online

*Curso com certificação.

Investimento:

R$60,00
 

A autopublicação manual sempre foi uma mídia fundamental nas histórias dos feminismos. Zines, colagens, revistas feitas à mão apenas com papel e canetas bic, distribuição feita por conta própria e etc. A ideia é resgatar histórias, imagens e traduções de publicações feitas por mulheres, assim como algumas produções não-binárias, desde o começo do século XX até o presente momento pandêmico. A oficina apresentará e contextualizará as práticas deste tipo de publicação. A ideia é que essas histórias e trajetórias estimulem atos e reflexões sobre os processos de produção de zines e o pensamento de como essas publicações funcionam para o coletivo; não apenas arte, mas também informação, opinião e construção de bases e alianças feministas.

CONTATO

Nosso endereço

Rua Riachuelo, 274 - Centro

Curitiba, PR - Brasil

Cep: 80020-250

​​

Tel: (+55 41) 98904 34 16 ​

alfaiatariacultural@gmail.com

Horário de funcionamento

terça-feira a sexta-feira – 14h as 18h 

Nos finais de semana nosso funcionamento acontece conforme a programação.

Como chegar de ônibus?
A Alfaiataria está próxima da Praça Tiradentes, Generoso Marques e Praça da Mulher Nua (Praça 19 de Dezembro). Nestas regiões diversas linhas estão disponíveis.

Estacionamentos

Os estacionamentos mais próximos estão localizados na rua Presidente Farias e na rua Treze de maio.

Bicicletas
Sempre que puder e quiser venha de bike! Entrada pela Rua Presidente Farias, 333. 

 - carros + bicicletas

PS: Como todo centro de uma cidade grande o fluxo de carros em nossa região é intenso principalmente nos horários de pico, por isso vagas na rua tendem a ser escassas. Quando for o caso você pode optar por taxi ou outros meios de transporte compartilhado evitando o stresse na procura por vagas e contribuindo com a diminuição da poluição ambiental e sonora na cidade.

  • Alfaiataria
  • Alfaiataria
  • Alfaiataria
  • Alfaiataria

© 2019. Desmilitarização já!

Nome *

Email *

Assunto

Mensagem